segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

I'm not crazy, I'm just a little unwell

 “Dói. Se me perguntarem o que acontece, só saberei responder isso: dói. Se me perguntarem onde é a dor, ainda assim só responderei: dói. Tudo tem a ver com aquele grito reprimido, aquele sonho escondido, aquele choro nem sempre contido: dói. Aquela vontade de cortar a garganta para não poder gritar. Aquela vontade de arrancar os olhos só pra não poder ver. Aquela vontade de esmagar o coração só para não poder sentir. Mesmo com todas essas coisas incapacitadas ainda assim doeria. Porque não está na garganta, nos olhos, no coração. Está em toda parte.”
Caio Fernando Abreu.




             É hoje. 
            Volta as aulas. Tinha que ser algo mais feliz. Não algo que te da tanto medo que seu coração dispara e sua mão começa a tremer só de imaginar. Não pode ser algo que te faz chorar sem motivo só de saber que tem que ir. Não deve ser algo que te faz querer que algo ruim aconteça com você só pra não ter que ir. Parece que tô indo pra forca, vai entender. 
            Vontade de me enfiar embaixo das cobertas e só saír...ahh, nem sei quando. O pior é esse jeito que me sinto, essa dor no peito, esse tremor, esse choro que não para. 
          Enfim, o dia hoje promete. Entre lágrimas e tremores. Só espero conseguir sair do onibus dessa vez.



"Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar."
Caio Fernando Abreu.

13 comentários:

  1. ooohh, espero que tenha corrido tudo bem :/

    ResponderExcluir
  2. Eu sou a favor daquela velha frase 'adoro estudar, odeia a escola'..muito bem colocada essa sensação de que querer q o pior aconteça(doença..) só pra termos uma desculpa pra faltar.
    Um retorno letivo pra vc!
    Ah, adorei a citação da música do Matchbox Twenty :D

    ResponderExcluir
  3. Nada é mais íntimo do que a dor.
    GK

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto, apesar de triste.

    Boa sorte.

    ResponderExcluir
  5. Sou muito fã do Caio, é um sábio!

    Força no Recomeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro, ele sabe descrever exatamente qualquer coisa que estamos sentindo.

      Obrigada.

      Excluir
  6. Muito bom o trecho do Caio Fernando Abreu, bastante profundo.

    Poxa, Blue Owl, que triste essa situação. Preciso te perguntar uma coisa: já pensou em procurar descobrir a carreira que realmente te faz feliz e abandonar essa curso?

    Vou te dizer uma coisa. Eu nunca senti esse pavor que você sente, a ponto de não conseguir sair do ônibus, isso deve ser mesmo muito ruim. Mas quanto a todo o resto, eu me sentia exatamente da mesma forma quando cursava Direito. Por três anos lutei tanto contra minha natureza e minha vontade, que a revolta deu lugar à angústia e à frustração. Com medo de me tornar depressiva, uma luz me deu a ideia de procurar um psicólogo e realizar um teste vocacional. Isso porque eu não saía do Direito pelo seguinte motivo: eu não sei o que quero fazer da vida, só sei que odeio Direito. O que eu dizia era: "não faço a menor ideia da carreira que quero seguir", isso me manteve no Direito e me fez muito infeliz. Eu odiava o lugar, as pessoas (exceto cinco amigos e alguns pouquíssimos colegas)e o curso. Até os professores, coitados, que nada tinham a ver com isso.
    Eu estava em desarmonia comigo mesma, por não conseguir me compreender e por desconhecer minha vocação.
    A minha saída, não sei se funcionaria com todas as pessoas, mas funcionou perfeitamente para mim. Acredito que o teste vocacional com acompanhamento de um psicólogo (que nada tem a ver com aqueles testes genéricos de internet) funcione com todo mundo, ou quase todo mundo. Apenas devo ressaltar que deve ser um bom psicólogo, é claro, pois, como em qualquer outra profissão, existem os profissionais ruins que não ajudarão, apenas causarão uma má impressão.

    Não estou te dizendo para necessariamente abandonar seu curso, pois, se nós mesmos muitas vezes nos desconhecemos, quem sou eu para te conhecer e saber das suas necessidades?
    Porém, estou te contando uma situação semelhante pela qual passei e sei o quanto é doloroso e angustiante. Por isso, me identifiquei com o que você falou e me preocupei. Essa solução que te apontei funcionou para mim, por isso sugeri a você. Sugeri a reflexão, talvez você ainda não tenha pensado por esse ângulo. Ou talvez tenha.

    E vou te dizer: um dos dias mais felizes da minha vida foi o dia em que abandonei aquela faculdade e tive certeza - na medida do possível, pois somos seres mutantes e complexos - da minha verdadeira vocação.

    Muita força e sabedoria para você.
    Com carinho,
    Isabela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de mais nada eu queria agradecer pela preocupação e pelas sugestoes, é muito bom saber que tem alguém que se preocupa que as coisas melhorem pra mim, pois pra ser bem sincera, por aqui, ninguem tem dado a minima.
      Enfim, eu me interessei muito em fazer o teste vocacional, desde que comecei na Rural que percebi que não sei o que quero fazer só sei que não quero ADM, assim como você, mas até que de uns tempos pra cá percebi que quero alguma coisa relacionada a leitura e escrita, ou algo parecido. Já estou até procurando a psicologa tanto pra fazer o teste quanto pra me consultar a respeito dessa ansiedade que sinto antes de ir pra lá (nessa semana eu passei muito mal, tremia direto, senti um panico toda hora, parecia que ia desmaiar e chorar a TODO instante, o que é bem irritante no trabalho com todo mundo olhando pra tua cara e achando que você ta com problema por causa de homem ¬¬)
      Desde que comecei a estudar eu percebi que não era pra mim, sempre quis muito largar e tentar outra coisa, não importa o que fosse, mas minha mae nunca deixou. Já brigamos muito por isso e já tive problemas serissimos porque era obrigada a ir. Agora eu passei num concurso a nivel de ensino médio, o salario é muito bom e agora minha mae resolveu dizer que não tinha problema eu sair da faculdade e ir fazer outra coisa...mas sabe o que me incomoda? Eu entrei lá em 2007, eu estou a tanto tempo, já era pra ter me formado, eu sinto que se eu largar agora, vai me mostrar que eu perdi esse tempo todo da minha vida e também vou sentir que falhei, entende?! Eu sei que não, na verdade nem eu consigo me entender. Todo dia quando ta perto da hora de ir eu penso que posso muito bem sair, ja tenho um emprego e posso seguir qualquer carreira no mundo. Mas quando mato aula (hoje é quinta e só consegui ir na aula na segunda >.<), eu me sinto tão mal, tão absurdamente envergonhada por ter desistido, e sei lá. Indecisão em pessoa, eu sei.
      Então, tenho que ver direito o que é melhor. Tenho que me acalmar, antes de mais nada. Me diz uma coisa, você alguma vez, se sentiu mal por ter largado Direito?

      Obrigada, de coração, pela atenção.
      Beijos,
      BlueOwl.

      Excluir
  7. O medo é um dragão de papelão... você sopra e ele cai!!!

    Não sei exatamente o que se passa, mas confie em você, flori! :)

    ResponderExcluir

Olá! Seja bem-vindo por aqui.
Obrigada pela mensagem =)